Planos de saúde perdem 60,4 mil clientes em 2019

Queda no número de beneficiários foi puxado por diminuição dos planos individuais. A quantidade de clientes recua desde 2015.
Os planos de saúde no Brasil perderam 60,4 mil clientes em 2019, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira (5) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Em dezembro de 2019, o número de beneficiários chegou a 47,039 milhões de pessoas, contra 47,100 milhões no mesmo mês de 2018.

A quantidade de clientes dos planos de saúde vem caindo desde 2015. Somente em 2018, houve uma estabilidade nos números.

No ano passado, a perda de beneficiários foi puxada pela diminuição dos planos individuais. Em dezembro de 2019, essa modalidade de contratação tinha 78,6 mil pessoas a menos em relação a igual mês de 2018. No total, os beneficiários caíram de 9,112 milhões para 9,033 milhões em um ano.

Por outro lado, os planos coletivos cresceram. O número de beneficiários nessa modalidade passou de 37,885 milhões para 37,912 milhões, 27 mil pessoas a mais.

Para a advogada Renata Vilhena Silva, especializada em direito à saúde do escritório Vilhena Silva Advogados, os números mostram um mercado desaquecido em razão do desemprego.

“A queda no número de usuários reflete a situação econômica do país. A recuperação dependerá do aquecimento no mercado de trabalho. Desde 2014, mais de 3 milhões de pessoas deixaram de contribuir com o sistema privado também por causa dos reajustes excessivos das mensalidades”, diz Renata Vilhena.

Leia também: STJ discutirá reajuste de plano de saúde coletivo por faixa etária

Em 2019, os planos de saúde subiram 8,24%, acima da inflação do período que aumentou 4,31%. Esse foi o segundo maior impacto no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2019, depois do aumento dos preços das carnes.

Planos Odontológicos

 

Já os beneficiários dos planos exclusivamente odontológicos continuaram crescendo. De 2018 para 2019, houve uma alta de 1,7 milhão no números de pessoas. Somente nos planos coletivos, os beneficiários passaram de 19,9 milhões para 21,5 milhões (1,5 milhão a mais). Já nos individuais, os beneficiários passaram de 4,3 milhões para 4,4 milhões.

Veja qual estado teve redução ou aumento no número de beneficiários de 2018 para 2019:

Acre (+470)
Alagoas (+7,523 mil)
Amapá (-5,703 mil)
Amazonas (+9.597 mil)
Bahia (-6,640 mil)
Ceará (-20,269 mil)
Distrito Federal (-9,291 mil)
Espírito Santo (+11,852 mil)
Goiás (+25,510 mil)
Maranhão (+7,591 mil)
Mato Grosso (+8,085)
Mato Grosso do Sul (-8,659 mil)
Minas Gerais (+59,170 mil)
Pará (-3,877 mil)
Paraíba (+51)
Paraná (+7,823 mil)
Pernambuco (-1,000 mil)
Piauí (-16,534 mil)
Rio de Janeiro (+13,286)
Rio Grande do Norte (-2,409 mil)
Rio Grande do Sul (-21,444 mil)
Rondônia (-5,215 mil)
Roraima (-1,450 mil)
Santa Catarina (-32,298 mil)
São Paulo (-60,207 mil)
Sergipe (-3,182 mil)
Tocantins (-3,182 mil)

 

Fonte: G1



WhatsApp chat